Profissional41ProProfessionalview.full
Nome do profissionaltexto

eutonista

Gabriela Bal

Cidadetexto
São Paulo - Zona Oeste/SP
Foto do Perfilimage
image
Descriçãotexto

“A eutonia propõe uma busca, adaptada ao mundo ocidental, para ajudar o homem de nosso tempo a alcançar uma consciência mais profunda de sua realidade corporal e espiritual, como uma verdadeira unidade”. (Gerda Alexander, 1983, p. 9)

UMA BIOGRAFIA, UM OLHAR, UMA MANEIRA DE SER E VIVER A EUTONIA


Desde menina fiz aulas de expressão corporal com Maria Duschenes, o som do seu tambor e a possibilidade de me expressar através do movimento me formaram e pulsam até hoje. Mais tarde, com 15 anos comecei a participar das aulas do Ivaldo Bertazo. Em 1981 comecei a atender com Massagem Integrativa, de Ágnes Geocze. Nesta época fazia a Faculdade de Administração Publica na FGV. Nos anos 80 iniciei com o Ivaldo a formação em Cadeias Musculares, nos primórdios do seu método, o Método Ivaldo Bertazo. 


Iniciei os meus passos na eutonia em 1989, num projeto experimental do Instituto de psicologia e do Instituto de Estudos Avançados da USP, sob orientação de Berta Vishnivetz, e não parei mais de viver a eutonia.  Paralelamente iniciava o meu trabalho de acompanhamento da gravidez, do parto e pós-parto. A eutonia e o trabalho com gestantes chegaram quase simultaneamente, após o nascimento de meus dois filhos. Minhas experiências de parto, parto natural sem qualquer intervenção, me levaram a querer favorecer que outras mulheres tivessem boas experiências de parto. E assim me iniciei na “Arte de Partejar”…  

Me formei em eutonia em 1995, na primeira turma da Escola Latino Americana de Eutonia, sob a orientação de Berta Vishnitetz. Assim que me formei fui convidada a dar aulas regulares, semanais, no SESC Consolação, onde tinha dois grupos, sendo um deles para a 3a idade e, mais tarde, em outras unidades do SESC em São Paulo e no interior.


Atendo em eutonia, no meu consultório particular desde 1995. 

O que é a eutonia?

A Eutonia é um processo que favorece a integração dos processos somáticos, psíquicos e mentais, a partir de abordagem corporal conduzindo à consciência de si enquanto unidade psicossomática.

Através da prática de exercícios de atenção e auto-percepção adquire-se uma consciência corporal mais apurada que favorece a integração das transformações corporais na imagem corporal reduzindo o estranhamento e o desconforto físico.

 Promovendo-se um estado de harmonia e equilíbrio entre vários níveis de tensão somática podemos utilizar o corpo de maneira eficiente e com menos esforço, melhorando  postura, o equilíbrio neurovegetativo, a respiração, a circulação, o metabolismo e o funcionamento hormonal. 

A capacidade de influenciar conscientemente o tônus e o equilíbrio neurovegetativo contribui para o domínio das emoções, aprimorando o contato consigo mesmo, com os outros  e o mundo. Amplia-se assim o sentimento de segurança, a confiança em si, a autonomia, a criatividade e o senso de responsabilidade.  

 


EUTONIA NA GRAVIDEZ

EUTONIA PÓS-PARTO

UMA BIOGRAFIA, UM OLHAR, UMA MANEIRA DE SER E VIVER A EUTONIA

Desde menina fiz aulas de expressão corporal com Maria Duschenes, o som do seu tambor e a possibilidade de me expressar através do movimento me formaram e pulsam até hoje.

Mais tarde, com 15 anos comecei a participar das aulas do Ivaldo Bertazo. Em 1981 comecei a atender com Massagem Integrativa, de Ágnes Geocze. Nesta época fazia a Faculdade de Administração Publica na FGV. Nos anos 80 iniciei com o Ivaldo a formação em Cadeias Musculares, nos primórdios do seu método, o Método Ivaldo Bertazo. 

Iniciei os meus passos na eutonia em 1989, num projeto experimental do Instituto de psicologia e do Instituto de Estudos Avançados da USP, sob orientação de Berta Vishnivetz, e não parei mais de viver a eutonia.  

Paralelamente iniciava o meu trabalho de acompanhamento da gravidez, do parto e pós-parto. A eutonia e o trabalho com gestantes chegaram quase simultaneamente, após o nascimento de meus dois filhos. Minhas experiências de parto, parto natural sem qualquer intervenção, me levaram a querer favorecer que outras mulheres tivessem boas experiências de parto. E assim me iniciei na “Arte de Partejar”…  

Me formei em eutonia em 1995, na primeira turma formada no Brasil, sob a orientação de Berta Vishnitetz. 

Assim que me formei fui convidada a dar aulas regulares, semanais, no SESC Consolação, onde tinha dois grupos, sendo um deles para a 3a idade e, mais tarde, em outras unidades do SESC em São Paulo e no interior.

Atendo em eutonia, no meu consultório particular desde 1995. 

Paralelamente ao meu trabalho no consultório, senti necessidade de encontrar palavras para falar daquilo que vivia, entre quatro paredes, com os meus alunos nas sessões individuais e mesmo em grupo. 

Queria falar da experiência do Silêncio! 

Em 1999, fui convidada para ministrar o curso de "Práticas de Desenvolvimento Pessoal", na Faculdade Santa Marcelina, onde pude dar aulas de eutonia no curso de graduação em Relações Internacionais. Estou nesta instituição desde então. 

Como exigência para continuar ministrando aulas na FASM, fui "convidada" a realizar um mestrado. Iniciei um mestrado em Ciências da Religião, com o intuito de falar sobre a experiência do Silêncio que a Eutonia promove. Descobri Plotino  e ele me deu palavras para falar do Silêncio . Conclui o mestrado em 2003, com o tema O Silêncio em Plotino e prossegui com o doutorado com o tema, "Em busca do Não-lugar" em 2010. O Não-lugar surgiu, enquanto tem, a partir das palavras de meus alunos de eutonia que, no final das sessões, muitas vezes diziam, "não sei onde estou", "não sei onde fui…". 

Em 2011, após terminar o doutorado, me associei à equipe do antigo Instituto Gerda Alexander de Formação Profissional em Eutonia, que agora se denomina Instituto Brasileiro de Eutonia. Iniciávamos o curso de formação no  Instituto Sedes Sapientiae, onde vim contribuir como professora e coordenadora entre 2012-2013. 

Todas essas atividades continuam fazendo da minha vida um viver a eutonia, em cada encontro, no acompanhamento eutônico da Vida em todas as suas faces e interfaces, no que transparece e naquilo que se oculta e pede para vir à luz. 

Publicação da dissertação de mestrado

Aula na formação em eutonia (IBE)